Turfe

Na reta de chegada do Guinness Book

Prestes a completar 64 anos de profissão Wilmar Nunes está perto de ter seu nome no Guinness

06 de Janeiro de 2018 - 22h00 Corrigir A + A -
Wilmar entrará no livro como jóquei mais velho do mundo (Foto: Divulgação - DP)

Wilmar entrará no livro como jóquei mais velho do mundo (Foto: Divulgação - DP)

A paciência é uma das atribuições do bom jóquei que deve saber esperar o momento certo de soltar as rédeas e arrancar rumo à vitória. Nas pistas precipitação é sinônimo de derrota. Com 78 anos completados em junho, Wilmar Muller Nunes sabe bem disso. Com a mesma paciência que espera o momento certo de dar o sprint final ele esperou o tempo passar para conquistar aquela que considera sua maior vitória: a inscrição de seu nome no Guinness Book como o jóquei mais velho em atividade no mundo. Agora, quando se prepara para comemorar incríveis 64 anos de carreira, entra na reta final do processo que pode perpetuar seu nome na história do turfe mundial.

Em dezembro a equipe de gestão de recordes do Guinness Book para América Latina confirmou a inscrição oficial de W. Nunes para tentar quebrar o recorde que hoje pertence ao norte-americano Frank Amonte que em 2012 disputou sua última prova com 76 anos de idade.

Com a inscrição homologada começa a corrida em busca da documentação exigida para comprovar a façanha, o que inclui registros profissionais, fotografias, documentos pessoais e tudo que ajude a registrar a longevidade da carreira profissional de W. Nunes. A expectativa da direção do Jockey Club de Pelotas é de que até o final de janeiro toda a papelada já tenha sido enviada para o escritório do Guinness no Brasil. A partir daí será esperar pela confirmação do recorde e a emissão do certificado.

“Torcemos para que todo o processo corra rápido e, quem sabe, possamos vê-lo receber o certificado durante o Grande Prêmio Princesa do Sul, em abril, o que seria um momento histórico para a cidade”, comenta Eduardo Abreu, presidente do Jockey Club de Pelotas.

A primeira fase de registros será feita neste domingo, quando W. Nunes participará do terceiro páreo da 13ª Reunião, montando Market Corner. “Estou animado com tudo isso, porque o feito ficará para os meus filhos, netos e bisnetos que sempre me apoiam e não pedem para eu parar de montar”, diz o veterano das raias. Sua participação na corrida marcada para as 17h, será toda documentada e os registros anexados às evidências exigidas pelo Guinness Book.

Apoio total
Diferentemente do que aconteceu nos EUA onde Frank Amonte foi proibido de montar pela comissão de corridas do hipódromo de Suffolk Dows (Massachusetts) por risco de acidentes, em Pelotas, a confiança no talento e na capacidade do velho mestre das pistas é total. “Seu Wilmar é um jóquei prudente, seguro e ainda tem vigor físico para enfrentar as corridas, portanto conta com nosso apoio”, confirma Abreu.

Notícias relacionadas


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados