Educação

Asufpel mobiliza-se a favor da educação pública

Sucateamento das universidades é a principal queixa do sindicato

10 de Outubro de 2017 - 10h57 Corrigir A + A -
Os técnico-administrativos da UFPel distribuirão material informativo no Campus Anglo (pela manhã) e no Instituto de Ciências Sociais (a partir das 18h).  (Foto: Jô Folha - DP)

Os técnico-administrativos da UFPel distribuirão material informativo no Campus Anglo (pela manhã) e no Instituto de Ciências Sociais (a partir das 18h). (Foto: Jô Folha - DP)

Em assembleia geral realizada na tarde de segunda-feira (9), o Sindicato dos Servidores da Universidade Federal de Pelotas (Asufpel) decidiu os próximos atos contra o sucateamento da educação pública. A reunião marcou o primeiro dos dois Dias Nacionais de Luta em Defesa da Educação Pública e foi uma indicação da Federação de Sindicatos de Trabalhadores Técnico-Administrativos em Instituições de Ensino Superior Públicas do Brasil (Fasubra). Para esta terça está marcada uma panfletagem. Uma possível greve em nível nacional foi sinalizada para o dia 23 deste mês.

Hoje, segundo dia do movimento, os técnico-administrativos da UFPel distribuirão material informativo no Campus Anglo (pela manhã) e no Instituto de Ciências Sociais (a partir das 18h). De acordo com a coordenadora-geral da Asufpel, Maria Teresa Fujii, a intenção é alertar os alunos e a comunidade para a falta de recursos destinados à educação. “Isso compromete, inclusive, a pesquisa na universidade”, lembra a coordenadora. No início do mês, a UFPel contava com apenas R$ 8 mil em caixa, resultado do contingenciamento de verbas. Medidas consideradas contra os direitos trabalhistas também entraram na pauta.

Maria Teresa atenta para a diminuição de vagas na universidade. Segundo ela, alguns cursos de graduação já enxugaram o número de alunos. Isto vai na contramão do que se viu nos últimos anos, que foi um aumento significativo na quantidade de ingressantes no Ensino Superior. “Se a UFPel fechar as portas, a população e toda a economia de Pelotas e região terão um grande impacto”, avalia.

Risco de greve
Outro ato está previsto para o dia 23. Em conjunto com outros sindicatos filiados à Fasubra, a intenção é iniciar uma greve nesta data. A confirmação se dará em plenária nacional que deverá ser realizada nos dias 21 e 22 deste mês no Rio de Janeiro. A assembleia da Asufpel também designou delegados para comparecerem ao evento. Maria Teresa afirma que todos os funcionários técnico-administrativos da UFPel estão convidados a participar das manifestações feitas na cidade e está confiante em relação à adesão deles.


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados