Pesquisa

Um profissional para se crer

Pelo nono ano consecutivo, Corpo de Bombeiros é a instituição em que o brasileiro mais confia, segundo Ibope

12 de Agosto de 2017 - 15h19 Corrigir A + A -
Categoria tem boa aceitação junto à comunidade (Foto: Infocenter DP)

Categoria tem boa aceitação junto à comunidade (Foto: Infocenter DP)

Entre jogador de futebol, policial, médico e professor, há uma profissão também entre as mais presentes nos desejos de futuro das crianças que, segundo recente pesquisa nacional do Ibope Inteligência, lidera o ranking de confiança do brasileiro em relação às instituições. É o Corpo de Bombeiros, que mesmo frente às diversas dificuldades apresentadas todos os dias, permanece no topo do estudo desde 2009.

Ao Diário Popular o capitão Madruga credita a boa imagem perante a sociedade ao trabalho desenvolvido ao longo dos anos, sempre com seriedade e esforço. "Estamos em todas as regiões do Estado, mesmo os mais distantes. Sempre que há ocorrência nos fazemos presentes", diz. Não há, segundo o oficial, distinção entre o atendimento a grandes incêndios e a crianças que pedem para os militares tirarem gatos de árvores. "Esse reconhecimento nos coloca uma obrigação, pois as pessoas acreditam no nosso trabalho", salienta.

O trabalho
Madruga diz que o Corpo de Bombeiros, em dias normais, atende uma média de duas, três ocorrências - nesse meio tempo recebe dezenas de trotes, o problema permanece embora mais brando. No verão, a maior recorrência é a de incêndios em áreas, além de casos envolvendo a Operação Golfinho nas praias. Já no inverno, por conta da maior utilização de estufas, por exemplo, aumenta o número de fogo em residências.
Durante o ano todo, em meio às atividades exclusivas dos militares, há também a assistência dada ao Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) - antes deste, as ocorrências de resgate eram concentradas impreterivelmente no cotidiano dos bombeiros.

Dificuldades
O espírito altruísta, a adrenalina da falta de rotina e a possibilidade de salvar o dia de alguém estão no pacote de benefícios da vida do bombeiro. Há, entretanto, o outro lado da moeda, o mundo invertido - sempre há. Madruga cita, por exemplo, a necessidade de se adaptar à vida por vezes ausente da família em datas como Natal e aniversários e presente em dificultosas noites frias e chuvosas para salvar desconhecidos.

O principal, diz, é driblar a defasagem no efetivo. Hoje são ao todo 83 bombeiros na corporação pelotense, que atende também outras cidades da região. De acordo com o capitão, esse número precisa ser aumentado - não especifica números, todavia. O grupo recebeu quatro novos integrantes recentemente e há previsão para concurso público autorizado para o futuro.

A pesquisa - Índice de Confiança Social (ICS)
O que é - Realizado desde 2009, o Índice de Confiança Social (ICS) é medido em uma escala de 0 a 100. Foi realizado entre os dias 13 e 19 de julho, com 2.002 pessoas a partir de 16 anos, em 142 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais para mais ou para menos.

Avaliação do Corpo de Bombeiros desde 2009
2009 - 88
2010 - 85
2011 - 86
2012 - 83
2013 - 77
2014 - 73
2015 - 81
2016 - 83
2017 - 86


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados