Ação policial

Defrec prende dupla por latrocínio em Pelotas

Jovens detidos participaram do crime que vitimou o adolescente Adriel Abreu, de 16 anos

11 de Agosto de 2017 - 18h19 Corrigir A + A -

Por: Giulliane Viêgas
giulliane.viegas@diariopopular.com.br

Dupla foi presa pela Defrec na tarde desta sexta-feira em Pelotas (Foto: Divulgação)

Dupla foi presa pela Defrec na tarde desta sexta-feira em Pelotas (Foto: Divulgação)

A Delegacia Especializada em Furtos, Roubos, Entorpecentes e Captura (Defrec) prendeu nesta sexta-feira (11) dois homens envolvidos no latrocínio de Adriel Rodrigues, de 16 anos. O jovem, atingido por um tiro em um dos olhos durante tentativa de assalto praticada no dia 30 de julho, no centro de Pelotas, não resistiu e morreu na madrugada do dia 3 deste mês, no Pronto-Socorro de Pelotas (PSP). O adolescente havia saído de uma festa em um clube localizado na rua Marechal Deodoro quando, próximo à rua Dom Pedro, foi atacado por um grupo de aproximadamente dez jovens que tentaram roubar uma de suas correntes e o moletom. 

À Polícia Civil, os presos disseram que estavam presentes na tentativa de roubo, mas negaram ter efetuado o disparo e tentado roubar os pertences da vítima. B.A.P. e J.A.S.G. foram encaminhados ao Presídio Regional de Pelotas. Conforme o titular da Defrec, Rafael Lopes, um dos presos é apontado como autor do disparo que atingiu o adolescente em um dos olhos. 

A morte de Adriel é o 5º caso de latrocínio registrado em Pelotas desde o início do ano. A redução dos crimes violentos é prioridade no projeto Pacto Pelotas pela Paz, lançado nesta sexta-feira (11), no auditório do Instituto Federal Sul-Rio-grandense (IFSul).

Relembre
Amigo de infância e que estava com Adriel contou que após saírem da festa, ele seguia pela mesma calçada, mas alguns metros atrás do rapaz, quando percebeu que o adolescente havia sido cercado por um grupo. Iago do Rosário lembra que ouviu o estampido do disparo e viu Adriel caindo. "Ele não reagiu. Antes mesmo de entregar os pertences um dos integrantes do grupo atirou contra ele. Meu amigo estava caído no chão e eles ainda tentaram roubar a corrente dele", lembrou. Iago ainda tentou ajudar Adriel, mas o grupo fugiu proferindo ameaças contra ele. "Tentei defendê-lo e evitar que disparassem mais contra ele, mas infelizmente ele já estava ferido, consegui chamar o socorro o mais rápido que pude", contou.

A mãe de Adriel, Simone Madri, disse que está com o coração dilacerado. A cuidadora de idosos comenta que estava assustada com a violência que se espalha pela cidade, mas nunca imaginou que perderia o filho por conta disso. Na noite em que teve o caçula baleado, Simone estava trabalhando e havia pedido para que Adriel não saísse de casa. "Eu pedia diversas vezes para ele não sair porque a cidade está violenta, mas ele não obedecia. Ele era muito jovem, não media as consequências. O que sinto é uma tristeza profunda em perder um filho tão amigo", desabafou. Adriel iria ser pai de uma menina que deverá nascer nos próximos meses. 


Comentários


Diário Popular - Todos os direitos reservados